terça-feira, 22 de julho de 2008

Devagar se vai longe

Hoje tomei 600 ml de água durante o dia. Perdi a conta das vezes que fui ao banheiro; chato à beça, mas, confesso, me senti menos inchada e não estava faminta na hora do almoço. E eu já li que às vezes não estamos com fome e sim, com sede.
Mas o almoço é que foi engraçado. Senti-me a lhama do comercial do chicletes! Demorei muito mais do que costume, mas senti o gosto da comida de forma diferente e fiquei realmente saciada. De manhã já havia acontecido a mesma coisa. Nem quis mais meu pãozinho e segui feliz no meu delicioso café com leite.

Para amanhã, a mesma mastigação, muita água - faço RPM e bebo o squeeze todo durante a aula, então fica mais fácil - e outra novidade: li que, para emagrecer, o consumo de carboidratos deve se restringir até o horário do almoço e que não devemos repetir o alimento mais de uma vez. Assim, "enganamos" o organismo. Ele não percebe a dieta e não lentifica o metabolismo.

Portanto, por enquanto: PÃO NO LANCHE NÃO!

8 comentários:

harete disse...

Reli essa postagem e notei que escrevi a palavra "senti" 3 vezes. Pensei em mudar o texto. Mas o que era falta de estilo, na verdade, era falta de sensação. Foi a primeira vez que, através da alimentação, eu entrei em contato com sabor, com saciedade, com...igo! E não com raiva, culpa, auto-piedade, punição.

Beth disse...

Harete, obrigada pela visita, vim conhecer o seu blog e, desde já, ingressar na sua torcida.
Parabéns por resolver lutar a seu favor, em vez de ficar brigando com a balança. Ela, na verdade, não é uma inimiga e sim uma ferramenta que, encarada de forma correta, só nos ajuda. Fala verdades que nem sempre queremos ouvir, mas que são importantes para refletirmos e nos ajustarmos.
Criar um blog foi também uma decisão bacana. Ele é uma das ferramentas de apoio neste processo, permite a troca de informações, experiências, incentivo, apoio etc. Ajuda a manter-se no foco, a estar em sintonia consigo mesma, antes de tudo.
Para mim, tem sido sempre muito especial. Espero que para você também seja assim.
Sobre beber água: é mesmo fundamental. No começo você estranhará, pois irá mesmo mais vezes ao banheiro, mas pense bem, ir ao banheiro não é uma chatice, é uma necessidade, é proporcionar ao seu corpo a oportunidade de funcionar conforme as especificações...rs Você se acostumará, fixe-se nos benefícios, curta a água fresquinha, compre um copo bonito ou uma garrafinha nova, colorida, use artifícios para se estimular a tomar regularmente, e chegar aos 6 copos, no mínimo, diários.
Vale a pena. A pele, os cabelos, o funcionamento geral do seu organismo logo estarão agradecendo.
Emagrecer não envolve fome, nem sacrifícios. A gente emagrece é comendo e com prazer. Mas com regras. Veja só, você comeu com calma, saboreando cada pedacinho do seu pão e chegou a sentir-se saciada antes de terminá-lo. E continuou com o seu café com leite, prazerosamente. Quando a gente se permite comer com mais calma, procurando estar realmente em contato com aquilo que está fazendo, tudo é muito melhor. Perceber a textura de cada alimento, tentar identificar o temperinho de determinado item do prato, observar o colorido do prato, imaginar como isto pode ainda ficar melhor em uma outra vez se tiver 'isto e aquilo', tudo isto passa a ser um exercício muito interessante. E isto sacia bastante também, sabe?
Desejo muito sucesso. Estou linkando seu blog e sempre que puder estarei aqui, dando uma forcinha, vibrando com seus progressos e aprendendo também, pois nós aprendemos muito uns com os outros.
Volte sempre no meu cantinho também, viu? Será muito bem-vinda!
Beijo grande
Beth
http://aconquista.zip.net

In pressões disse...

Nossa Beth! Muito, muito obrigada! Bjos!

Fabi disse...

não vivo sem carboidrato... fato !
ô inferno, viu !

In pressões disse...

A gente pode comê-los amiga, mas só durante o dia, durante a fase de emagrecimento. Na de manutenção, ele aparece de novo... Bjão!

paula barros disse...

Muito bom seu blog.
Agua bebo demais, banheiro vou também muito.
Como tão rápido que me assusto. Preciso melhorar. Espero que sou blog me ajude. abraços

In pressões disse...

Brigada de novo, Paula! Essa história de comer devagar é bacana à beça! Andei dando umas garfadas mais aceleradas e senti mal-estar já! Muito doido! A primeira vez estranhei a lentidão; agora, estranho a rapidez...

Anônimo disse...

Aprendi muito